Vídeo de divulgação da História e o Espiritismo

.

.

Seja bem vindo

Seja bem vindo

Mapa

free counters

Total de visualizações de página

Seguidores

Marie-Anne Charlotte Corday d'Armon

8 de jun de 2010


Um fato histórico aconteceu em julho de 1793
                                                         Charlotte na casa de Marat
Revolução Francesa 5/8 

Comentários de Luciano:
Era uma moça devota das idéias iluministas católicas que, sentindo-se revoltada com a Era do Terror, arquitetou um plano com o intuito de colocar um fim ao movimento.
Charlotte dirigiu-se até a residência do líder Marat. Utilizando-se de uma estratégia, disse que era portadora de uma lista de nomes de contra-revolucionários para entregar ao líder. Devido a problemas de saúde, Marat quase não estava saindo de casa e constantemente estava em seus aposentos, imerso em uma banheira para seus tratamentos medicinais devido a uma doença de pele que adquiriu quando vivia refugiado nos esgotos da França em épocas de monarquia.
Charlotte então pegou uma faca e cravou no coração de Marat que veio a desencarnar. O pintor Davi retratou a cena em um quadro, fazendo com que Marat fosse endeusado pelos franceses na posterioridade.
Charlotte foi acusada pela morte de Marat e levada à guilhotina de forma resignada, com muita bravura. Ela sentia que seu ato poderia colocar fim a tanta crueldade na França... Ledo engano da moça, pois isso não mudou o quadro trágico francês.
Eu fico pensando sobre o que motivou Charlotte a cometer o assassinato de Marat, seria ela uma louca? Ou era um espírito que outrora foi um revolucionário e que nesta existência francesa teria que nascer nos bastidores, como determinação das leis de ação e reação, para que cumprisse as Leis Divinas? Talvez um espírito que vivera toda a sua existência tolhida de suas reminiscências revolucionárias...
Pelo quadro histórico que a nação vivia da Era do Terror, provavelmente o espírito de Charlotte teve fortes reminiscências de seu passado, que estão gravadas no escaninho da memória, conforme assevera Leon Denis.
Então, ela passou a nutrir uma vontade inexplicável de fazer justiça para o povo e acabou cometendo este ato insano?
Será que este espírito deveria ter passado por várias provas e situações de guerras e revoltas em outras vidas para ter a coragem de colocar sua vida em jogo a fim de tentar salvar o seu povo da Era do Terror?
Não estou querendo transformá-la em heroína e nem justificar o assassinato que ela cometeu, mas porque ela teria feito isto? Fica aqui uma interrogação para refletirmos.
                                                        Marat Morto - pintura de Davi
 
Desça com a barra de rolagem que você encontrará a continuação R.F. 5/8.
Autor: Luciano Oliveira

0 comentários:

Postar um comentário

Leia com atenção

Leia com atenção

Nota de esclarecimento

As imagens contidas neste blog, são retiradas do banco de imagens da rede web.
Agradeço a todos que compartilham na rede tais imagens e até mesmo textos.
Caso haja algum problema de utilização em meu blog de algum material de sua autoria, entre em contato para que eu proceda a retirada.
Luciano Dudu